Interações, histórias e recomeços

Quem vive a vida acreditando que só quem tem auto estima não tem problemas está criando condições para não cuidar da estima por si própria.


Várias coisas que a gente pensa sobre nós não são aleatórias ou recentes, elas tem origem lá trás. Na maneira como nossos pais e cuidadores interagiam com a gente.


A infância é uma oportunidade de como as coisas irão reverberar na vida adulta, entre elas, como a criança se vê, como percebe o amor e também suas potencialidades.


O interessante é que essas relações do passado, mesmo que muito presentes até hoje, não são um destino cravado na pedra, isso é, não determinam de forma absoluta o que podemos fazer com as nossas vidas.


E isso acontece, porque temos livre arbítrio, podemos refazer caminhos e escolhas. Podemos escolher contar nossas histórias de novos jeitos e escrever futuros mais gentis e acolhedores.


Quando, nós adultos, observamos nossa auto estima, a gente consegue decifrar parte do que compõe a forma com que lidamos com nossas crianças e com a gente mesmo.


Ser agressivo, intolerante ao erro, amoroso, controlador, inseguro são algumas das questões que precisam ser vistas e percebidas. Quando olhamos e nos responsabilizamos para o que sentimos as relações começam a se transformar.


Quem vive a vida acreditando que só quem tem auto estima não tem problemas está criando condições para não cuidar da estima por si própria.


A auto estima é a atitude radical de reconhecer e acreditar na nossa capacidade mesmo com nossas imperfeições.


O que eu quero dizer é que mesmo que a gente erre, ainda assim o destino dos nossos filhos não estarão determinados, assim como, os nossos pensamentos e ações também não estão determinados pela nossa infância.


Todos, sem exceção, podem escolher percorrer um caminho diferente.


Publicado em Parentalidade


*Você pode participar do nosso Fórum da Parentalidade, enviando sua história, dúvidas e desafios - clique aqui e participe.

**Eu mantenho uma pesquisa aberta para conhecer mais sobre você, quais temas você gostaria de saber e qual pergunta você gostaria de fazer. Você não precisa se identificar na pesquisa e não é pedido o seu email. Pode clicar aqui e muito obrigada por participar.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo