Maternidade numa panela de pressão

Maternidade é uma conta que não fecha sozinha, porque nós somos seres com necessidades.

Gael completava 1 ano, eu já com duas filhas de 3 anos e muitos projetos profissionais aparecendo. Eu tinha uma vontade enorme de me aventurar em reuniões com clientes exercendo a profissão que sempre me proporcionou muita inspiração.


Mas uma oportunidade bateu na nossa porta e não podíamos perder. Lá vamos nós para um País novo, sem falar a língua local e sem nossa querida rede de apoio.

Crianças sem escola, eu sem projetos profissionais, sem vida pessoal, ficava tempo integral cuidando dos 3 pequenos.


Se eu fosse um objeto naquela época, poderiam me chamar de Panela Pressão 🍲. Eu me sentia fervilhando por dentro só que com a tampa fechada, não respingava em ninguém.


Mas essa é uma conta que não fecha porque nós somos seres com necessidades. A tampa vai abrir e a nossa falta de autocuidado, de bem-estar, de saúde, de parceria, de rede de apoio, inevitavelmente vai respingar em quem está ao lado.


É irreal imaginar que com todos os problemas fervilhando internamente, a mulher vai chegar no fim do dia agindo com paciência, carinhosamente, como se nada estivesse acontecendo.

Auto cuidado não é egoísmo, é um ato altruísta: quanto mais nos cuidamos, melhor cuidamos dos outros.

💞 E para você, o que a maternidade te ensinou?


Inimigo n°1 da Maternidade: A Positividade Tóxica

“Ela é tão boazinha, quase nem chora”.

Tenho uma filha que passou praticamente o seu primeiro ano de vida chorando. Para mim choro não é um gatilho, talvez porque eu também tenha sido uma criança chorosa e sempre fui tratada com muito carinho e acolhimento pelos meus pais.


Mas para a maioria, que encontrava com a gente, o choro da minha filha era desesperador.


Ela tinha crises de choro, ficava inconsolável e durava por longos minutos. As pessoas ficavam tentando resolver, me davam dicas, procurando causas e soluções. Eu sabia que não era fome, não era cólica, não era alergia, não era fralda suja, não era sono.


Eu sabia que uma das funções do choro é a auto regulação de sentimentos, então eu pensava “Pode chorar minha pequena. Estou aqui com você”. Falei um pouco sobre isso nesse texto:

Existe muita confusão entre o que é fase (que é normal do desenvolvimento infantil) e o que é comportamento definitivo que a criança vai levar para o resto da vida. O choro excessivo é uma fase normal do desenvolvimento da criança. Não se vê criança de 12 anos chorando por tudo, como uma criança de 2 anos faz, por exemplo.

Desvincular o choro da criança do fato de você ser uma boa mãe ou um bom pai é uma das coisas mais importantes para evitar a irritação.

🍀 Para você que está grávida ou que está nessa fase de bebê pequenito, cuidado com as expectativas. Saiba que está tudo bem a criança chorar, você não foi sorteada com um bebe chorão.


A culpa não é sua e nem da criança.


*Publicado em Parentalidade

**Eu mantenho uma pesquisa aberta para conhecer mais sobre você, quais temas você gostaria de saber e qual pergunta você gostaria de fazer. Você não precisa se identificar na pesquisa e não é pedido o seu email. Pode clicar aqui e muito obrigada por participar.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo