IMG_0657.jpg

Mariana Wechsler

Educadora Parental, especialista em educação respeitosa, budista há mais de 34 anos e formada em Comunicação. Mãe de 3 filhos. Escreve sobre parentalidade consciente, sobre os desafios da vida com pitadas de ensinamentos budistas e suas experiências morando fora do Brasil longe de sua rede de apoio. Acredita que as mães precisam aprender a se cuidar e se abraçar, além de receberem apoio e carinho.

Sempre diz: “Seja Fantástica! Seja sempre a sua melhor amiga”.

Coluna no Papo de Mãe

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Preto Ícone Blogger

Meu Propósito

Quando eu tinha 5 anos de idade, minha tia ensinou eu e meu irmão a meditar.  E isso marcou as nossas vidas para sempre. 

Naquele ano, meus pais estavam passando por uma certa  dificuldade e nós precisávamos mudar de casa.

Enquanto meus pais faziam a mudança, eu e meu irmão passamos um tempo na casa dessa tia. 

Enquanto estávamos com ela, ela nos ensinou que a única forma de conseguirmos ajudar nossos pais era meditando. Nós não só acreditamos no que ela disse, nós efetivamente colocamos em prática. Quando voltamos para casa, já na casa nova, era só o que fazíamos. 

 

Todos os dias, eu com 5 anos e meu irmão com 7, nós meditávamos. Nossos pais ficaram tão comovidos com aquela cena que passaram a meditar também. 

 

Foi assim que nossa família se tornou Budista. Em meio a uma grande dificuldade, duas crianças se unem para apoiar 2 adultos. Isso não é muito diferente em muitas famílias. 

 

Qualquer pessoa, inclusive crianças, possue um poder transformador incrível. 

São 34 anos de dedicação e muito estudo de ensinamentos Budistas, posso dizer que sou Professora de Budismo. 

 

Não a toa, eu me formei em Comunicação, expert em experiência do consumidor. Participei de inúmeros projetos de eCommerce que hoje são sucesso no mercado Brasileiro. 

 

Durante essa jornada de aprendizado, tive inúmeras oportunidades de conhecer pessoas por todo o Brasil, e claro incluindo as crianças. Viajei para muitas cidades, conheci e dialoguei com centenas de pessoas. Quanto mais pessoas conhecia e quanto mais de suas histórias eu ouvia, mais era possível perceber algumas coisas em comum.

 

Todos sofrem e muitas vezes pelo mesmo motivo, ricos e pobres, analfabetos e qualificados. E ao mesmo tempo, todos possuem naturalmente o Poder e a condição de transformar a sua própria vida e a vida de seu entorno. 

 

São palavras simples de dizer, mas é um caminho muito difícil de ser trilhado. 

 

E após ter meus 3 filhos, comecei a perceber mais ainda, como é difícil enfrentar barreiras internas que nós mesmos criamos. 

 

Antes deles nascerem, já consumia conteúdo de guias parentais: como criar, como dar de mamar, como fazer comida etc. Mas quando elas começaram a se comunicar e manifestar seus próprios desejos, percebi o que já havia aprendido na minha trajetória como Budista: todo ser humano possui as mesmas capacidades e poderes, mas cada ser humano se apresenta ao mundo diferentemente. E não há um manual para isso.

 

A partir daí, comecei a colocar em prática o que aprendi no budismo e o que aprendi com os livros e cursos feitos ao longo dos últimos anos. E criei uma forma para identificar em mim o que mudar para conseguir um melhor comportamento dos meus filhos e criar pessoas incríveis. 

 

São 4 pilares:

 

1. Sempre me comunicar positivamente;

 

2. Tonar-me dona das minhas decisões, dona do meu destino;

 

3. Mapear os meus Hábitos que são nocivos à minha felicidade e tenho quatro compromissos que faço diariamente para transformar esses hábitos (1. Atenção a forma como me comunico, 2. Não me vitimizo, não levo nada no pessoal; 3. Evitar enfrentar um fato com conceitos pré concebidos; e 4. buscar mostrar ao mundo o meu melhor); e

 

4. Conseguir identificar os meus Momentos Emocionais, os meus Pontos de Inflexão, fatos do passado que me marcaram fortemente e foram capazes de criar hábitos emocionais que se repetem em situações difíceis. Ser capaz de encontrar o seu MEPI, o seu Momento Emocional seu Ponto de Inflexão é libertador, pois o seu limitador fica evidente e então mais fácil de ser transformado. 

 

E é aqui que sei que consigo ajudar você. 

Exercer a Parentalidade conscientemente é um grandioso processo de Transformação Humana. Isso quer dizer que o nosso principal foco como cuidadores das crianças neste mundo é a nossa própria transformação.

Transformação essa que poderá permitir que as crianças cresçam como a pessoa que são, em todo o seu potencial e com boas condições e boa preparação para funcionar e viver em sociedade.


O maior poder de mudança na relação pais e filhos está do lado dos pais. Uma mãe, um pai, um educador consciente assume total responsabilidade por esse poder que detém.


A qualidade das relações entre as criança e os principais adultos na sua vida determinam praticamente a sua felicidade, a sua saúde, o seu bem-estar e o desenvolvimento da sua auto-estima – o sistema imunitário social.

 

Ser um pai ou uma mãe consciente não é um título que podemos ganhar após ter feito um curso ou ter aprendido uma série de coisas.

Quando procuramos seguir o caminho da parentalidade consciente passamos a questionar as nossas crenças, as nossas ideias, os nossos hábitos, os nossos comportamentos. É um descarte de tudo aquilo que não serve a nossa intenção como pais, um desaprender de tudo que não promove relações saudáveis baseadas no amor incondicional e tudo aquilo que não ajuda os nossos filhos a prosperar emocionalmente.

 

Como pais e mães conscientes estamos comprometidos com a viagem e essa viagem pode começar a qualquer dia. É uma viagem sem fim que realça o crescimento, a prosperidade emocional, a verdade, a autenticidade, a presença e a intenção.

 

Vamos iniciar essa jornada juntas?